Voltar para   página anterior

Cultivo do algodão em consórcios agroecológicos na Prata-PB tem promovido a geração de renda e riqueza circulante na região


Por Acsa Macena

Participantes do 1º Seminário do Algodão Agroecológico da Prata-PB.

No Sertão do Cariri-PB, a Diaconia, no âmbito do Projeto Algodão em Consórcios Agroecológicos, realizou o 1º Seminário do Algodão Agroecológico, em parceria com a Associação de Certificação Participativa dos Produtores Agroecológicos do Cariri Paraibano (ACEPAC/PB), ONG Arribaçã e prefeitura do município.

O evento aberto ao público buscou sensibilizar agricultoras e agricultores do município da Prata-PB a aderir ao programa do algodão em consórcios agroecológicos, que tem venda garantida para o mercado orgânico e comércio justo, além do incentivo financeiro municipal mediante cada quilo de pluma produzida e comercializada pela ACEPAC/PB.

No seminário, também foi apresentada a estratégia do Projeto e o impacto na geração de renda para as 300 famílias agricultoras ligadas à ACEPAC/PB, assim como o protocolo de regras e boas práticas do algodão com certificação orgânica participativa.

Fábio Santiago (Diaconia), Amanda Procópio (ACEPAC-PB), prefeito da Prata-PB

Para este ano, a estimativa de produção da ACEPAC/PB é de 20 toneladas de pluma de algodão, especificamente no município da Prata-PB é de 6 toneladas de pluma com certificação orgânica e em transição. Com isso, espera-se que os ganhos para as atuais 68 famílias agricultoras ligadas à ACEPAC/PB no município ultrapassem os R$121.380, considerando o valor recebido pela comercialização pluma + valor agregado do fio + incentivo municipal +prêmio da empresa compradora do algodão Veja/Vert + caroço do algodão.

Ainda neste ano, a ACEPAC/PB também terá a sua Unidade de Beneficiamento de Alimentos (UBA) inaugurada, onde processará 9 linhas de alimentos, entre tahine, pasta de amendoim, óleo de gergelim e outros, além de empacotar sementes de adubação verde, como feijão de porco, feijão guandu, crotalária juncea, entre outras.

Alguns produtos que serão beneficiados na UBA do Sertão do Cariri-PB.

A ACEPAC/PB também está inserida no Programa de Alimentos Seguros (PAS), desenvolvido pelo SESC, SENAC, SEBRAE, SESI e SENAI, que tem como objetivo garantir a segurança ao consumidor e à consumidora de que as pessoas que estão produzindo os alimentos, estão capacitadas de forma eficiente e cumprindo as regras de boas práticas de fabricação e manipulação.

A associação é acompanhada pela Diaconia, em parceria com a Arribaçã e o CEOP, e tem abrangência em 15 municípios da região. De 2018 a 2022, a ACEPAC-PB já produziu mais de 69 toneladas de pluma de algodão e gerou mais de R$1.400.000,00 de riqueza circulante e regenerativa na região.

Projeto Algodão em Consórcios Agroecológicos – É uma iniciativa coordenada pela Diaconia e tem apoio financeiro da Laudes Foundation através do IDH – Sustainble Trade Initiative, da Inter-American Foundation (IAF), da V. Fair Trade e o Instituto Lojas Renner. No incentivo à gestão e disseminação do conhecimento, o Projeto é parceiro estratégico do FIDA/AKSAAM/UFV/IPPDS/FUNARBE e da Universidade Federal de Sergipe (UFS, Campus Sertão – Nossa Senhora da Glória/SE). Ainda é parceiro do SENAI Têxtil e Confecção da Paraíba, Projeto + Algodão – FAO/MRE-ABC/IBA/Governo do Paraguai, Programa Mundial de Alimentos (PMA) e o Projeto Algodão Agroecológico Potiguar no Rio Grande do Norte. A área de atuação é em 7 territórios e 6 estados na região semiárida do Nordeste do Brasil. Há colaboração com ONGs locais (Instituto Palmas – Alto Sertão de Alagoas, ONG Chapada – Sertão do Araripe/PE­ e Cáritas Diocesana de São Raimundo Nonato – Sertão do Piauí) para a expansão do cultivo do algodão consorciado e fortalecimento dos Organismos Participativos de Avaliação da Conformidade (OPACs) – Associações Rurais de Certificação Orgânica Participativa. No Sertão do Cariri, na Paraíba, o assessoramento técnico está sendo realizado pela Arribaçã, tendo ainda a parceria com o CEOP – Território do Curimataú/Seridó.  No Sertão do Pajeú (PE) e Sertão do Apodi (RN), a Diaconia mantém escritórios e atividades e se encarrega da implementação das ações locais do Projeto e parceria com CPT – RN.